Para fortalecer a campanha e emplacar a bicicleta no Plano de Mobilidade Urbana (e para angariar mais simpatia e solidariedade geral), é preciso buscar apoios locais.

A inclusão da bicicleta nos planos precisa ter apoio técnico e, em especial, político e social de pessoas, mesmo dentro dos governos, e instituições/movimentos para termos mais atores nos ajudando a pautar a bicicleta como uma agenda importante a ser discutida em nossas cidades, dentro – ou fora – dos Planos de Mobilidade. Ter esse conjunto de apoiadores é importante para termos mais força e braços na campanha e também para sensibilizarmos mais gente sobre a importância da bicicleta como parte da mobilidade urbana.

Esse processo de conhecimento e busca de novos atores para a campanha, além de potencializá-la, também fortalece a sociedade civil local, através dessa interação e articulação dos grupos.

Uma boa forma de iniciar esse entendimento de quem pode estar ao nosso lado e, por exemplo, quem não estará de forma alguma é fazendo um mapeamento de atores de forma simplificada. Chame um bom grupo de pessoas para lhe ajudar nesse processo!

 

O que é o Mapa de Atores?
Uma ferramenta visual para identificar os principais atores (pessoas, instituições, empresas, movimentos, etc) que podem se envolver no tema da sua campanha – seja ela qual for -, o nível de apoio de cada um deles e o poder que eles têm em relação ao seu objetivo ou objetivo da campanha (dois exemplos de objetivos – que precisam ser claros – são: incluir a bicicleta no Plano de Mobilidade ou iniciar uma pressão coletiva para que a cidade inicie o desenvolvimento de um Plano de Mobilidade).

 

Ele serve para?
Compreender e definir quem são os atores locais que podem influenciar positiva ou negativamente na campanha.

 

Como fazer?
Faça um exercício mental de quais atores vocês têm na cidade: fábricas, empresas, instituições em geral, movimentos sociais, professores engajados, artistas locais de grande relevância, vereadores, pessoas no diversos órgãos do executivo, colunistas sociais ou políticos, e outras tantas possibilidades, etc.

Em seguida, liste os possíveis atores que têm relação com a bicicleta (negativa ou positiva) e os que não têm vínculo, mas que vocês acham que podem contribuir ou atrapalhar com o andamento da campanha.

Após esses dois momentos, trace duas linhas: a horizontal representará o grau de apoio ao seu objetivo, enquanto a vertical representará a graduação de poder que o ator possui frente a ele.

Dica: use post-its ou o computador.

Comece a colocar os atores no mapa, de acordo com o apoio e o poder de cada um. Exemplo: o Prefeito tem MUITO poder e pode dar mais ou menos apoio. Um colunista famoso pode dar menos poder, mas dar MUITO apoio.

Analise o quanto cada um dos atores mapeados ajuda ou atrapalha você a alcançar o objetivo que vocês traçaram. Seja o mais detalhado e específico possível e não coloque “mídia” ou “ministério” ou “população”, por exemplo, pois há grupos e pessoas com visões diferentes dentro de cada setor.

Depois que todos estiverem mapeados, é hora de fazer uma análise e pensar nas movimentações para um lado ou para o outro. Converse com as pessoas que atualmente estão na campanha e vejam se de fato os atores estão na posição que deveriam estar.

 

Como saber com o que interessa a cada ator?

Pense em processos, táticas e ações que vocês imaginaram ser importantes de serem realizadas ao longo da execução da campanha Bicicleta nos Planos na sua cidade.

Em seguida, cruze o esses atores com o que você acha que eles podem se interessar. Exemplo: a indústria pode querer ter ciclovias em frente ao seu prédio, para que os servidores dela possam ir em segurança ao trabalho. Já o movimento ambientalista pode se interessar por reduzir as velocidades para 30km/h, uma vez que isso faz os automóveis emitirem menos partículas inaláveis a esta velocidade. Escolas podem querer campanhas educativas. Sindicatos de classe se interessariam mais por algo que beneficie os sindicalistas.

Enfim, identifique previamente possíveis ações para cada ator ou conjunto deles é importante, para chegar na hora da conversa com argumentos sólidos e a conversa fluir bem.

 

Com ou sem parceiros, dá para ir adiante! Algumas sugestões do que fazer:

_elaborar uma # específica para a cidade, que englobe as demandas locais que vocês sabem que existem. Isso pode estimular as pessoas que participaram da campanha e se engajarem nessa luta com vocês. Solicite que as pessoas utilizem ela em suas ‘selfies’ e vídeos. Exemplos: #MaringáQuerBicicletáriosPúblicos / #CicloviaNaAvenidaAtlântica / #FortalezaIntegradaJá / #JuizdeForaPedala / #ManausPedala / #euqueroPlanBici / #D1Passo

_fazer oficinas ou diálogos chamando as pessoas a participarem para construírem as estratégias e táticas da campanha;

_exibir filmes e promover diálogos sobre o conteúdo do filme, aplicando-o a realidade local.

_realizar rodas de conversa temáticas em locais centrais e periféricos, levantando os apontamentos e temas para discussão com a comunidade local (de um bairro, de uma universidade, escola, empresa, etc);

_gravar pequenos vídeos em primeira ou terceira pessoa, mostrando você, seu grupo e/ou seus parceiros falando sobre o que eles acham que tem de bom na cidade e o que precisa melhorar. Outra coisa legal é gravar em primeira pessoa e mostrar as dificuldades de se locomover na cidade. Na hora de postar, lembre-se de usar a # padrão da campanha. O conjunto desses vídeos pode gerar um documentário no futuro ou um exposição, que fomentará, por exemplo, um debate aberto sobre a importância da bicicleta na cidade e no Plano de Mobilidade.

NESSE LINK, na aba “O que fazer” tem algumas ideias que vocês podem levar adiante para agitar a campanha e promover diálogos em torno da inclusão da bicicleta nos Planos de Mobilidade ou da necessidade da cidade ter um Plano, por exemplo.

Após os encontros com os atores mapeados, mesmo que somente um, faça fotos e micro textos explicando a situação. Ah…Não se esqueçam de marcar os novos parceiros nas as postagens. A depender do nível de poder desse ator, comunicar o resultado do encontro à imprensa pode ser bom. Importante também: após o contato com esses atores de maior relevância, faça uma releitura do cenário. Veja quantos apoios vocês ganharam e o que pode mudar com isso.

A partir do desenvolvimento coletivo de uma narrativa qualquer, ou seja, como apresentamos a campanha em nossas cidades, mais gente pode se envolver na realização dela.

Nesse processo todo, lembrem-se das fábricas, empresas, instituições em geral, movimentos sociais, artistas locais de grande relevância local e regional, lojistas, jornais, sindicatos de classe, etc. Liste os possíveis atores que têm relação com a bicicleta (negativa ou positiva) e os que não têm, mas vocês acham que podem contribuir ou atrapalhar com a campanha em andamento.

Para tentar facilitar o contato com esses potenciais parceiros abaixo, apresentamos um modelo de comunicação que pode ser usado por vocês.

 

 

Olá, XXXXX NOME DA INSTITUIÇÃO/GRUPO/MOVIMENTO/EMPRESA,

 

Como vai?

Estamos passando por aqui por acreditamos que temos uma pauta que pode lhes interessar na luta por [NOME DA CIDADE] mais justa, democrática e sustentável.

Talvez vocês tenham visto que, no último dia [DATA], lançamos aqui em [NOME DA SUA CIDADE] a campanha Bicicleta nos Planos, elaborada pela UCB – União de Ciclistas do Brasil e rede Bike Anjo e realizada localmente pela [NOME DO SEU GRUPO].

 

De onde veio essa campanha?

A campanha Bicicleta nos Planos nasceu da necessidade de debatermos e incluirmos a bicicleta e a suas conexões com a saúde, inclusão social, comércio, educação, logística urbana e outras tantas durante este momento importante em que nossa cidade vive de [INSERIR AQUI UM DOS DOS MOMENTOS ABAIXO]

efetivação do Plano de Mobilidade Urbana

revisão do Plano de Mobilidade Urbana

desenvolvimento do Plano de Mobilidade Urbana

necessidade de iniciar o diálogo sobre a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana

 

Qual a utilidade da campanha Bicicleta nos Planos??

A campanha serve para, local e nacionalmente, desenvolvermos uma visão comum sobre o quanto e como nossas cidades ainda precisam se tornar mais cicláveis – e acreditamos que o diálogo com outros atores locais da cidade é fundamental para criarmos uma massa crítica capaz de sensibilizar sobre e efetivar políticas públicas que de fato promovam a mobilidade urbana em busca de cidades mais sustentáveis, conforme previsto na Política Nacional de Mobilidade Urbana.

Com a campanha, objetivamos orientar outros atores da sociedade civil organizada de [NOME DA CIDADE] e cidadãos, bem como técnicos municipais e decisores políticos para que compreendam a importância de

[ESCOLHER QUAL REDAÇÃO SE ADEQUA À REALIDADE LOCAL]

– termos diretrizes, princípios, objetivos ações, metas, medidas, recursos, indicadores ligados à bicicleta no Plano de Mobilidade da nossa cidade

– iniciarmos o debate sobre a necessidade de [NOME DA CIDADE] ter um Plano de Mobilidade Urbana que oriente o desenvolvimento da mobilidade da cidade para um caminho mais sustentável

– pressionarmos para que a Prefeitura nos escute durante o atual e corrente processo de elaboração do Plano de Mobilidade Urbana

Nesse sentido, acreditamos que existem algumas formas de vocês nos apoiarem. Por exemplo:

1) autorizando-nos a publicar o apoio de vocês à campanha Bicicleta nos Planos em [NOME DA CIDADE];

2) criando um post no site de vocês ou colocando nas suas mídias sociais materiais sobre a campanha;

3) passando nomes/contatos, se possível, de outras instituições que vocês acham que podem fazer parte desse leque de parcerias para a realização da campanha Bicicleta nos Planos em nossa cidade;

4) colocando-nos em contato com jornalistas da cidade que vocês acham que podem contribuir com a pauta;

5) mandando depoimentos de pessoas de sua organização/movimento falando da importância de uma campanha como essa para a nossa cidade

Como?

_Vídeos curtinhos (até 30seg).

_Pequenos textos + uma foto. Faremos uma galeria de apoios.

Desde já, agradecemos o seu apoio!

 

Atenciosamente,

NOME DA SUA ORGANIZAÇÃO/MOVIMENTO

 

 

Alguns aspectos que vocês podem se atentar:

_ao enviar o e-mail, tente sempre copiar mais alguém que está na campanha com você.

_ao receberem algum retorno positivo, divulguem! Criem uma notinha no site de vocês e/ou nas mídias sociais para mostrar aos seus seguidores que vocês têm apoio local na realização da campanha!

_agradeçam o apoio local, por mais que possa não ser necessário, é importante.

_recebendo retorno negativo, avaliem se vale a pena insistir mais um pouco ou sair do campo das mídias sociais/e-mail e ir para o corpo a corpo.

 

 

________________

Este texto é baseado na Orientação Técnica 06 da Campanha Bicicleta nos Planos.

 

.